quarta-feira, 10 de dezembro de 2014



A tensão muscular é um mecanismo de proteção do corpo, dos tempos em que o ser humano vivia na natureza. Em situações de perigo, o cérebro manda o corpo ficar preparado, em estado de fuga ou luta, e a tensão faz com que o músculo não se machuque ao entrar em ação.
A massagem facilita o processo de relaxamento dos músculos de várias maneiras. Quando você amassa os músculos, melhora a circulação e a distribuição do sangue – até porque o calor provocado pela fricção dilata os vasos. O músculo fica mais bem nutrido e relaxado, e a dor é aliviada.
Quando acumulamos problemas e não conseguimos relaxar a mente, o corpo também não relaxa, o que deveria acontecer naturalmente. É este excesso de tensão que deixa os músculos doloridos.
Além disso, a massagem estimula receptores espalhados pelo corpo, que reagem à temperatura, à pressão e ao toque. Estes estímulos são enviados ao cérebro, que responde com um comando para que os músculos relaxem

.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Espaço Zen

Espaço Zen localizado em Anil - Jacarepaguá - RJ.

Atendimento com profissional qualificado, dispõe de técnicas variadas de terapia alternativa.

Para agendar ligue: 3183-4929



AYURVEDICA


Ayurvédica:

A doença, para a Ayurvda, é muito mais que a manifestação de sintomas desagradáveis ou perigosos à manutenção da vida. A Ayurveda, como ciência integral, considera que a doença inicia-se muito antes de chegar à fase em que ela finalmente pode der percebida. Assim, pequenos desequilíbrios tendem a aumentar com o passar do tempo, se não forem corrigidos, originando a enfermidade muito antes de podermos percebê-la.
Benefícios prporcionados pelo tratamento com a massagem Ayurvédica: Rejuvenescimento (melhora da pele), realinhamento das estruturas óssea e muscular, aumento da auto-consciência, fortalecimento do sistema imunológico, aceleração da circulação linfática e consequente desintoxicação do organismo, eliminação de bloqueios, prevenção de doenças, aumento de flexibilidade, reequilíbrio dos chakras, maior mobilidade das articulações e possibilita uma vida mais harmoniosa e feliz.
É importante ressaltar que, para uma massagem ser Ayurvédica, deve levar em consideração seus desequilíbrios e suas características. É uma prática individualizada, específica para cada tipo de pessoa. Não existe apenas uma técnica de massagem Ayurvédica, mas sim diversas delas, que são feitas com óleos.

SHIATSU

Shiatsu




O Shiatsu é um tipo de trabalho corporal que, na mais elevada expressão, combina aguçada intuição e profundo conhecimento do corpo-mente. O Shiatsu foi criado no Japão a partir de uma síntese entre a massagem chinesa chamada anma e as técnicas ocidentais de manipulação física. Como sistema completo oriental tradicional.
Na técnica do Shiatsu, várias partes do corpo do paciente são alongadas, seguras, ou recebem o peso corporal do praticante para melhorar o fluxo energético, a circulação sanguínea, a flexibilidade e a postura. A pressão e o contato são feitos com as mãos, os polegares, os dedos em geral, os antebraços, os joelhos e os pés, enquanto o paciente fica sentado ou deitado em várias posições. O tratamento tem como objetivo os Canais específicos (meridianos) da sutil energia corporal chamada Ki. Este é a força vital que mantém todas as atividades do corpo, da mente e do espírito.
Embora o significado literal de Shiatsu seja pressão dos dedos, seu espírito é a comunicação através do toque. O Shiatsu que reage às necessidades do paciente não pode ser fruto apenas de habilidade técnica e estudo teórico, Para ser eficaz, ele exige sensibilidade para sentir e influir positivamente sobre a qualidade da vitalidade do paciente. A vitalidade é a base da saúde, refletindo a força e a harmonia da circulação do Ki. O Shiatsu sensível e de apoio tonifica e corrige o fluxo de Ki, ajudando dessa forma a restaurar a vitalidade e prevenir as doenças.
O Shiatsu só pode realmente surtir efeito quando o praticante solta o peso corporal e transmite o Ki sem esforço. O esforço visível por parte do praticante tem como único resultado obstruir o fluxo de Ki e impedir que o paciente relaxe e se abra. O Ki é transmitido naturalmete ao paciente quando a energia do praticante está concentrada e enraizada no baixo-ventre.
Finalmente, a terapia Shiatsu realmente correta depende da compreensão que o praticante tem da medicina oriental tradicional e suas técnicas de diagnóstico. O praticante bem-informado sente-se apto a tratar de pacientes afetados por distúrbios agudos e crônicos.
 

Reflexologia é a utilização terapêutica da reflexologia.
 É uma técnica de tratamento por meio de estímulos em uma área reflexa.

As principais áreas reflexas trabalhadas são: as mãos (reflexo palmar), os pés (reflexo podal), as orelhas (reflexo auricular), a coluna (reflexo vertebral), a face (reflexo facial), e o crânio (reflexo cranial).

Acupuntura e moxabustão



                                       
Os conceitos que fundamentam a Medicina Tradicional Chinesa, como o YIN e yang, teoria que se baseia na visão característica do povo chinês antigo, onde o YIN representa no corpo humano a matéria, ou seja, tudo aquilo que é composto por estrutura e, em contrapartida, o YANG representa tudo aquilo que é energia, ou seja, toda atividade energética do corpo, dentre muitas outras características. Além disto, a teoria do YIN e YANG também dita a relação do ser humano com a própria natureza, relacionando a fisiologia com o clima e as estações do ano, com o dia e a noite, buscando, desta forma, compreender como nós homens influenciamos e somo influenciados pelo ambiente onde vivemos.
Esta forma de pensamento é fundamental para a relação de saúde e doença e passo inicial para o raciocínio clínico da Acupuntura e Moxabustão. Para que haja saúde, o equilíbrio entre o YIN e o YANG dentro e fora do corpo devem ser perfeitos, isto é, a nossa atividade energética ou metabolismo, não pode ser nem maior nem menor que a nossa estrutura. Desta forma temos uma atividade metabólica adequada para o tamanho do nosso corpo. Se esta atividade é maior que a estrutura corporal, o corpo adoece por que consome excessivamente a matéria que compõe o corpo; se a atividade é menor que a estrutura, não vai haver força ou energia suficiente para movimentar a estrutura, o que também gera adoecimento.
Em relação ao ambiente, podemos tomar, por exemplo, a relação do dia e da noite. Durante o dia, que é YANG, temos naturalmente mais atividade, por isso o organismo precisa de mais energia à disposição para movimentar o corpo e manter as suas funções, o metabolismo é mais rápido, tudo isto acontece de forma fisiológica. Já à noite, que é YIN, o organismo necessita de menos atividade, em função do sono, o metabolismo é menor e o corpo utiliza este momento para revitalizar a sua estrutura, a sua matéria.
Se esta relação fica perturbada, o ser humano começa a sentir alterações das suas funções vitais, como por exemplo, a insônia que, segundo esta teoria, seria causada pelo desequilíbrio entre YIN e o YANG ou o cansaço e a sonolência diurna, também tendo como causa o mesmo desequilíbrio. Se durante a noite, YIN, devemos naturalmente diminuir a atividade, o desequilíbrio faz com que fiquemos acordados, com mais atividade que o normal, ou mais YANG que o natural. Por outro lado, se durante o dia, YANG, temos que estar mais ativos, a sonolência é a manifestação que estamos mais YIN que o natural.
Apesar de parecer complexo ou incomum, tal teoria consegue demonstrar, de forma diferente, a visão de saúde e doença pensada pelos chineses há alguns milênios.
Com os avanços da medicina, a explicação para estes eventos ganhou uma nova roupagem, uma característica científica que, em alguns casos, resume a saúde e a doença a meros acertos de um intrincado bioquímico.
Por outro lado, a Medicina Chinesa vem nos lembrar de que mais do que meras interações bioquímicas, o corpo humano está envolto em um equilíbrio que se interliga infinitamente na forma como o próprio organismo funciona e na sua inter-relação com o ambiente onde vive, onde o clima, as estações do ano, o dia e a noite, a alimentação são fatores importantes para a manutenção da saúde, tudo isto interligado a este raciocínio do YIN e do YANG.
Um dos mecanismos para tratar estes desequilíbrios é o uso da Acupuntura e da Moxabustão. Através do uso das agulhas ou da queima da moxa, o acupunturista busca reestabelecer este equilíbrio perdido e restaurar a saúde. Com a escolha dos pontos de acupuntura corretos, é possível tratar uma gama enorme de patologias, simplesmente estimulando o próprio corpo a buscar o balanço adequado entre YIN e o YANG.
Por este motivo, celebramos a Acupuntura e Moxabustão como Patrimônio Intangível da Humanidade. Para que, junto com a técnica de tratamento, o pensamento e a filosofia que caracterizam estas duas práticas que visam reestabelecer a saúde, possam ser preservados de forma integral, mantendo a sua originalidade no que diz respeito à forma de pensar e tratar a saúde e a doença.

Ciência da massagem

Ciência da massagem
Pesquisadores do Canadá encontraram uma explicação científica em nível celular para a eficácia da massagem no alívio da dor e na recuperação muscular.
Por: Cássio Leite Vieira
Publicado em 26/03/2012 | Atualizado em 26/03/2012

A eficácia da massagem contra a dor tem agora base científica: os benefícios da técnica estão associados a ‘ligar’ e ‘desligar’ genes. (foto: Thomas Wanhoff/ Flickr – CC BY-SA 2.0)
Massagistas agora poderão dizer, com base científica, por que a atividade que exercem funciona no alívio da dor e na recuperação muscular. E isso tem a ver com ‘ligar’ e ‘desligar’ genes, segundo estudo.
Parte dos profissionais de saúde vê a massagem com ceticismo – afinal, qual a base científica para os tais benefícios relatados? Porém, não faltam relatos sobre os benefícios e a eficácia da técnica em sua ação contra a dor.
Agora, veio a público o que parece ser a primeira explicação científica em nível celular para a massagem. E a história das razões do estudo – relatada pelo serviço noticioso ScienceNow (01/02/12) – começa quando Mark Tarnopolsky, da Universidade McMaster (Canadá), passou a se submeter a massagens por indicação médica, depois de acidente esportivo.
Veio a público o que parece ser a primeira explicação científica em nível celular para a massagem
O fato de as sessões trazerem alívio para a dor chamou a atenção do pesquisador. Haveria base celular para o que ele sentia? Tanopolsky, coincidentemente, trabalha com metabolismo celular.
O cientista reuniu colegas e decidiu investigar. Arrebanharam-se 11 jovens, submetidos a exercícios extenuantes. Dez minutos depois da prática esportiva (pedalar), uma das pernas foi submetida a massagem.
Os pesquisadores colheram amostras do quadríceps (músculo da parte anterior da coxa) das duas pernas em três ocasiões: antes do exercício, 10 minutos depois e 3h mais tarde.
Primeiramente, eles constataram o que já se sabia: depois do exercício, as células apresentam mais evidências de inflamação e de sinais de autorreparo dos danos do que antes.
A surpresa veio quando se analisaram as células do tecido massageado: elas tinham 30% a mais de genes reparadores envolvidos no processo de transformar nutrientes em energia, bem como 300% menos de proteínas que ‘ligam’ genes envolvidos na inflamação.
Simplificadamente: os genes reparadores estavam ‘ligados’ e os relacionados à inflamação ‘desligados’.
Quanto à crença de que a massagem difunde, para outras regiões, o ácido lático do músculo dolorido, a equipe não achou evidências – esse, até agora, era o argumento ‘científico’ mais usado para justificar os efeitos da massagem.
O estudo foi publicado on-line na revista Science Translational Medicine.
Cássio Leite VieiraA eficácia da massagem contra a dor tem agora base científica: os benefícios da técnica estão associados a ‘ligar’ e ‘desligar’ genes. (foto: Thomas Wanhoff/ Flickr – CC BY-SA 2.0)
Massagistas agora poderão dizer, com base científica, por que a atividade que exercem funciona no alívio da dor e na recuperação muscular. E isso tem a ver com ‘ligar’
Ciência Hoje/ RJ